Dúvida de 2014: Torcer pelo Hexa ou protestar?

By quinta-feira, junho 05, 2014 , ,

http://on.fb.me/SxKknU

Robson está animado por participar da manifestação dos motoristas de ônibus, reivindicando melhores condições de trabalho e aumento de salário. E nesse 13 de julho está orgulhoso de si mesmo por ter deixado de fazer parte da massa manipulada e, ao invés de assistir a final da Copa – com a seleção brasileira em campo – vai lutar por seus direitos.

São Paulo está verde e amarela, mas Robson age com naturalidade. Tenta não focar na bandeira nacional exposta na entrada dos bancos ou sendo carregada pela garotinha. Desvia a atenção para não despertar as emoções que todo esse cenário pode estimular. “Patriotismo de verdade é lutar por um país melhor e não dar ibope a esse circo”, pensa o jovem motorista, fazendo referência à política do pão e circo, tão eficaz desde a Roma Antiga.

Robson pega seu material de protesto e se dirige até o ponto de encontro dos motoristas manifestantes. Lá, retira as cartolinas amassadas da mochila e pensa no que escreverá nelas, enquanto recebe uma advertência do companheiro: “Que isso mano? Cartaz verde e amarelo? Tá a favor da Copa do Mundo é?”. Robson se defende, afirmando que eram as únicas cores disponíveis.

O motorista pega o canetão e escreve: “Brasil na Copa e o povo na fossa”, um tanto radical, mas era essa a impressão que deveria passar. Na TV, no pátio do terminal de ônibus, a seleção brasileira dava significado à toda aquela tensão nas ruas: jogava bem, mas gol que é bom, nada. Robson evitava acompanhar o jogo, desviando o olhar para o pão com mortadela e para o povão reunido.

Na hora de sair para o protesto na 23 de Maio, os motoristas já estão bem apreensivos. Ninguém sabe ao certo se é pelo manifesto ou se pelo jogo. Já na rua, a categoria se manifesta repleta de cartazes hostis em relação à política, ao governo e, claro, à Copa do Mundo. Um pouco afastado da multidão, Robson passa em frente a uma banca de jornal e ouve o grito de gol. Disfarçadamente para e assiste ao replay.

Os manifestantes seguem firmes e fortes. Mas um cinegrafista avista o jovem parado e quando Robson se vira, percebe que está sendo filmado. Fica orgulhoso de seu cartaz e de representar sua categoria. Isso, claro, se o cinegrafista não tivesse dado close na parte de cima da cartolina verde. “Brasil na Copa” foi a mensagem que a TV transmitiu. O restante, bom, não existe restante.

E assim Robson, coitado, protagoniza o sentimento da maioria dos brasileiros em ano de Copa no Terceiro Mundo: Torcer pela conquista do Hexa ou manter a postura contrária ao trilhão gasto com obras desnecessárias e enfatizar a morte dos oito operários nas obras dos estádios? Eis a questão!


You Might Also Like

2 Palpites

  1. É a grande dúvida que paira. O relato é tão real quanto a realidade. Esse sentimento de insegurança irá persistir até as eleições deste ano, que prometem ser bem diferentes do que estamos acostumados... ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso, Emílio, que tenho tido dificuldade em torcer pelo Brasil, dentre motivos principais, até pela atuação do time que não me desperta muita emoção. Mas meu maior medo é que a seleção brasileira ganhe, a Dilma vença e tudo continue igual :/

      Excluir

Comente, crítique, reclame, elogie, concorde ou discorde. Mas deixe sua opinião!!