Conhecimento para um mundo melhor

By sexta-feira, agosto 16, 2013



Quando iniciei a graduação em jornalismo, há 3 anos e meio, tinha a pretensão clichê de "mudar o mundo". Mas como esse objetivo pode ter centenas de significados, explico que meu ideal era melhorar vidas e diminuir injustiças. Pretendia usar do conhecimento jornalístico e de todo o acesso possível a fontes e informações para investigar desvios ou má aplicação do dinheiro público. Descobrir porque determinado hospital não tratava bem seus pacientes ou porque certa cidade distante dos principais centros do país era comandada por autoridades políticas ou por cangaceiros.

Enfim, meu intuito era lutar por aqueles que não tinham força ou conhecimento para tanto. Com o passar dos anos, aprendi na prática que o jornalismo atual se distancia cada vez mais desses objetivos e então comecei a perceber que há milhares de maneiras de se "mudar o mundo" para melhor. E para isso não preciso, necessariamente ser jornalista. Ser humana antes de tudo, pode trazer melhores resultados. Sendo uma boa filha, uma boa aluna, uma boa amiga, uma boa cidadã, uma boa pessoa. Boa no sentido de me importar verdadeiramente com o próximo e fazer algo para torná-lo mais feliz.

Temos responsabilidade sobre cada vida ao nosso redor. Em casa, no trabalho, na escola. E podemos sim usar de nós mesmos para acalentar a vida alheia. Com um gesto amigável, um sorriso ou uma palavra de conforto. E a grande notícia é que é possível fazer o bem com ou sem profissão. Mas se você é médico, psicólogo, jornalista, advogado, pedreiro, pintor ou varredor de rua, ótimo. Use de seu conhecimento, das experiências vividas para transformar positivamente aqueles com quem convive.

Afinal, é de pouco em pouco que se move o mundo. Pequenas atitudes solidárias em relação a outros indivíduos é um passo para isso. Então aproveite as oportunidades que tem na vida para pensar um pouco mais no coletivo, porque ser o melhor no que se faz também implica merecimento. Seja médico ou bombeiro, mas decida sua profissão e trace seus objetivos de carreira analisando o quanto tudo isso pode melhorar a realidade humana. Por que sucesso até um assassino pode ter, todavia merecimento é só para aqueles com senso de humanidade.



You Might Also Like

4 Palpites

  1. Sem palavras pra dizer o quanto gostei da sua opinião. Um mega parabéns! Abração

    ResponderExcluir
  2. Hoje em dia é exatamente o que penso sobre mudar o mundo. Até porque se ficarmos o tempo todo achando que apenas como jornalistas mudaremos o mundo, iremos chegar a frustração; ao ver que mudar alguma coisa é muito mais simples, porém muito maior do que a imprensa atual nos permite fazer. Então, acredito nas suas palavras, elas revelam uma consciência que nos falta.
    Enfim, o seu texto me dá uma esperança. A esperança de que outros colegas (jornalistas e estudantes da área) pensem assim. De que pensem no lado social do jornalismo, como maneira de mudar qualquer coisa por meio do conhecimento e da informação, e que somente assim (aos poucos) a carreira jornalistica possa fazer alguma diferença social e real em todo o mundo. ótimo texto, parabéns! E obrigada por ser uma das partes da minha esperança.

    ResponderExcluir
  3. É muito reconfortante saber que há colegas que pensam da mesma forma, assim já somos vários, o que permite ficar mais fácil melhorar a realidade nossa e de outros, então só tenho a te agradecer, Sara, por compartilhar da mesma esperança :). Obrigada!

    ResponderExcluir

Comente, crítique, reclame, elogie, concorde ou discorde. Mas deixe sua opinião!!